Archive for Abril, 2008

Ciao Praga … with jazz

Abril 30, 2008

Tudo muito bom, o barco, a comida, o Moet (ou não fossemos as 2 angolanas :-) ), o jazz, a conversa . . . Para quem conhece o Speakeasy em Lisboa e gosta, imagine o Speakeasy em forma de um barco, mais “cozy”, música ao vivo todos os dias, bandas diferentes mas sempre jazz, com vocal ou sem vocal, jantar ou simplemente um vinho tinto e uma tábua de queijos e um belo passeio pelo rio Moldava. Partida todos os dias do Deck5 às 20:30 e chegada às 23:00. Conseguiram imaginar? Temos o Jazz Boat.
Foi assim que passei a noite, hoje um quinteto de fusion jazz MARAVILHOSO “Rajnosek B.And” … e já falei do Moet?
Pensei a noite toda em como gostaria de tranferir este conceito para Lisboa e finalmente abrir aquele Bar que sempre sonhei.

Praga – Cidade Elegante

Abril 30, 2008

Hoje despeço-me desta linda cidade, já tenho saudades!!!
Acabei agora de fazer uma oil massage – thai massage – que me relaxou dos pés à cabeça, literalmente, e vou-me despedir da cidade jantando no Jazz Boat

O folheto dizia:

- Live jazz concert
– Diferent perspective to see the city
– Culinary gourmet dinner

pareceu-me bem – e a vocês? – para me despedir desta cidade que me deixou encantada, muita história, muita vida, muita beleza, muita música – descobri que a clássica é a mais falada mas existe bom jazz checo – e muita elegância.
Exactamente, é assim que defino esta cidade, uma cidade elegante!!! AMEI !!!

p.s. Amanhã, o Roberto – nosso guia, que habla castelaño – disse que nos vinha buscar às 7:15h para começarmos a nossa viagem de bus rumo a Budapeste… 7:15h . . . SOCORRO!!!

“Através”

Abril 27, 2008

Realmente parece preguiça mas não é … é mesmo através do muito trabalho, através da doença de pessoas que são a nossa história, através da chegada de pessoal de Luanda, através da preparação da viagem de férias … através disso tudo não consegui escrever nos últimos tempos …  a quem me lê e a quem teve saudades da Kianda, havemos de voltar !!!

Vou viajar amanhã, Praga, Budapeste e Viena vão receber a minha visita e eu aproveitar toda a cultura e beleza que elas têm para me oferecer. Não sei se conseguirei uma rede Wi-fi e um pouco de tempo para escrever mas prometo tirar muita fotografia para depois postar.

Beijú

Frases

Abril 22, 2008

Hoje numa conversa de café ouvi 2 colegas meus na seguinte conversa:

- Então o Sporting pá? – disse um deles
– O Sporting? O Sporting é bipolar !!!

:-) , nota que os 2 são Sportinguistas …

Mulher que lê

Abril 21, 2008

Um casal sai de férias para um hotel-fazenda.
O homem gosta de pescar e a mulher gosta de ler.

Uma manhã, o marido volta de horas pescando e resolve tirar uma soneca.
Apesar de não conhecer bem o lago, a mulher decide pegar o barco do marido e ler no lago.

Ela navega um pouco, para, e continua lendo seu livro.
Chega um fiscal do parque em seu barco, para ao lado da mulher e diz:

- Bom dia, senhora. O que está fazendo?
– Lendo um livro – responde, pensando: será que não é óbvio?
– A senhora está em uma área restrita em que a pesca é proibida, informa.
– Sinto muito, tenente, mas não estou pescando, estou lendo.
– Sim, mas com todo o equipamento de pesca. Pelo que sei, a senhora pode começar a qualquer momento. Se não sair daí imediatamente, terei de multá-la e processá-la.

- Se o senhor fizer isso, terei que acusá-lo de assédio sexual.
Mas eu nem sequer a toquei! – diz o fiscal.

- É verdade, mas o senhor tem todo o equipamento. Pelo que sei, pode começar a qualquer momento.
– Tenha um bom dia, senhora – diz ele, e vai embora.

MORAL DA HISTÓRIA:
NUNCA DISCUTA COM UMA MULHER QUE LÊ. CERTAMENTE ELA PENSA!

Sagrada Esperança

Abril 19, 2008

Tinha dito num post anterior que expunha a polémica sem dar a minha opinião, que mesmo assim acho que se lia nas entrelinhas, mas volto a este assunto para expressar que realmente não concordo com a palavra medíocre na crítica à poesia de Agostinho Neto e até posso não perceber nada de poesia.
Ao voltar a pegar, e ler o livro “Sagrada Esperança – Poemas” de Agostinho Neto reeditado em Português, Francês e Inglês pela UEA e com ilustrações lindas de António P. Domingues, que faz parte da minha Biblioteca para que com todo o carinho possa mostrar ao meu filho um bocado da história do nosso País, não posse deixar de me indignar com as palavras de José Eduardo Agualusa.
Não é política, é história, é a memória colectiva de um povo que estudou nas aulas de Português os textos que eram poesia de Neto.
Eu, na minha ignorância – que assumo – acho que as críticas de livros, textos, poemas, quadros, devem ser reportadas , analisados à época que foram executados porque fora de um contexto as coisas podem não fazer sentido.
Voltando ao livro, ao ler os agradecimentos fico presa no paragráfo que diz : “… No momento em que se realiza esta edição na sua forma definitiva, fruto do nosso trabalho … … eu e meus filhos dedicamos uma saudação fraternal a todos aqueles que amanhã lerão esta obra de liberdade.”
E eu acrescento que essa obra de liberdade não pode ser , de certeza, medíocre.
E como me sinto, como me devo sentir, ao dar uma volta pelo blog e me lembrar que em Abril do ano passado escrevi um post onde achava que talvez esta poesia de Neto ainda era actual.

P.S. – Gosto muito dos livros de José Eduardo Agualusa

Sr. Ministro – Luminoso

Abril 18, 2008

Foi preso e internado num manicómio, perseguido pela ditadura militar e obrigado a exilar-se. Trocou uma carreira de executivo numa multinacional pela música. Quando em 2002 Lula da Silva convidou Gilberto Gil para ser o seu ministro da Cultura, a única condição que ele colocou foi continuar a ser músico.
E ainda bem, para que ontem, enquanto lá fora caía um dilúvio, eu na 3ª fila do Coliseu podesse encher os ouvidos, os olhos e a alma de música, de palavras cantadas ao som de um violão, era só ele, Gilberto Gil, o seu violão e por vezes também acompanhado pelo filho Bem Gil.
Foi um concerto intimista onde a passagem das palavras – uma aula espontânea sobre os ritmos brasileiros – e a música era feita de uma forma tão natural – ainda com uma leve rouquidão (devido à amigdalite que o impediu de tocar em Madrid) – que me transportou para uma qualquer varanda de um qualquer apê em Copacabana onde eramos todos amigos convidados na sua casa.
Aqueles concertos onde não se dá pelo passar das horas (foram quase 2) e que não deviam nunca acabar, que merece plenamente “Aquele Abraço”.

Uma última nota para a chegada do prof. Marcelo Rebelo de Sousa que chegou sózinho para se sentar na primeira fila – pelo que percebi, uma surpresa de um bilhete oferecido – e com uma simpatia muito natural (parece pelo menos) começou a falar com quem estava perto. Ainda com tempo de fazer uma piada
– Vamos ver se ainda tem voz 
– O Caetano é da mesma idade e ainda tem – disse alguém
– mas não é ministro – rematou o Professor.

Tomada de posição

Abril 17, 2008

Este blog é escrito sem nenhuma orientação de esquerda ou direita e no dia que me apetecer paro simplesmente de escrever, exactamente da mesma maneira que comecei um dia, simplesmente porque sim. O que mais se aproxima daquilo que me leva a escrever é a analogia que encontro com o sofá do analista.
Escrevo sobre mim, sobre música, sobre Angola, sobre o Mundo e sobre Portugal que não é o País onde nasci mas é aquele que escolhi para viver.
E acho – nem sempre achei, mas crescer e ter maturidade é um pouco de tudo – que o facto de alguém não ter nascido num País não lhe deve retirar o direito a opinar, criticar, eventualmente até votar ou mesmo governar … estamos numa era de globalismo, de um mundo com cada vez menos fronteiras e devemos todos ter o direito de participar nas sociedades que escolhemos para viver, por um ano, 2 , 3 ou a vida toda.

Gaja boa

Abril 17, 2008

Tenho amores de estimação, e aos poucos vou deixando-os por aqui, bocadinho a bocadinho. Gosto muito de crónicas, muitas vezes elas morrem no tempo porque já nascem com prazo de validade, outras são intemporais. Já aqui tenho falado sobre como gosto de ler as crónicas do RAP, mais do que gosto de vê-lo. Mas ainda não tinha dito o quanto gosto de ler António Lobo Antunes, principalmente as suas crónicas, por vezes mais amargas , outras mais doces, talvez conforme a fase da vida que atravesse. Este é um bocadinho de “O precário fio dos dias”:

“…Que poder de síntese na fórmula
– Gaja boa
que profundidade apreciativa. O primeiro caramelo
– Gaja boa
e o segundo a complementar
– Do caneco
ou seja um par de génios sucintos. Aliás a expressão gaja boa é extraordinária. Diálogo ouvido hoje no sítio onde como a torrada da tarde, entre dois sujeitos de cerveja mini na mão:
– Ainda agora aqui esteve a filha do Gonçalves
– E que tal a gaja?
– Boa
que se prolongou num silêncio meditativo. O curioso do
– Que tal a gaja?
insistiu a pedir detalhes
– Boa ou muito boa?
e recebeu como resposta uma espiral indecisa da mini
– Boa
e um novo silêncio meditativo durante o qual me vim embora, a correr sobre a chuva, deixando-os de sobrancelha franzida, a calcularem. Amanhã peço uma mini e bebo-a da garrafa. Virilmente. A espiar a filha do Gonçalves de baixo a cima. Talvez haja um grau intermédio entre o Boa e o Muito Boa e os possa ajudar na sua classificação taxonómica…”

[in Visão]

Dói-me a cabeça

Abril 16, 2008

…vou dormir !!!

P.S. – O Sporting foi superior [e não tem o Nelson]. Parábens, foi um grande jogo.

P.S.1 – o MAESTRO é um grande jogador, leitura de jogo como ele é de 100 em 100 anos, é pena !!!


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 425 outros seguidores