Archive for the ‘Musica’ Category

Março 13, 2011

Maria Gadú no CCB - 20110311

Grande show !!! O palco superou e muito – é o que se quer – o CD que estou habituada a ouvir.  Vestida de menina(o) sapeca, moleque mesmo, encheu o CCB com a força do seu vozeirão. E o CCB, cheio como nunca o vi, e já tenho alguns anos disto, rendeu-se a esta Paulistana, Carioca por opção.

Amei os arranjos das músicas, o cenário, a voz quente, a banda. Grandes músicos. A lembrança de Cássia Eller, para mim e acredito que para toda a gente, é constante.

Tivemos direito a cinco encores – onde se incluiu  ‘Ne me Quittes Pas’ de Jacques Brel, num arranjo diferente, mas que deu certo. Com um jeitinho tímido e calado, ela encheu o palco muito bem acompanhada pelos 5 músicos. Amei !!!

 

Me leva daqui que eu vou …

Outubro 27, 2010

CCB - Raíz da Alma - 20101024

Falar do Paulo não é fácil para mim. Simplesmente porque gosto demais dele para conseguir despir a pele de amiga, de família, de fã para falar do artista.

E neste momento percebo que passaram quase 20 anos, 20 anos em que tenho o privilégio de acompanhar de perto o crescimento e maturidade do Paulo. Neste momento ele ultrapassou-nos, saiu do nosso pequeno mundo, saiu do quintal lá de casa, cresceu !!!

Já não nos pertençe, deixou de ser nosso, agora é de todo o mundo, e paradoxalmente, nesse crescimento, nessa grandeza que hoje é medida pelo universo, não perdeu o traço que mais o caracteriza, a humildade.

Ele foi em busca da raiz e encontrou uma alma, mas continua em busca da paz, nesse caminho, que o faz crescer, que o fez grande, nós, os que sempre acreditamos, os que nunca largaram a mão, os que entendem, sempre, o momemto, estamos lado a lado, agora … e para sempre.

E depois destas palavras, pessoais, minhas, dizer que o Semba fez-se rei no quintal do CCB. Sempre pensei que gostava de ter estado no Elinga, sentada no chão, descalça a ouvir aquele Semba chorar a nossa história. Continuo a sentir essa saudade daquilo que não vivi, mas no CCB, descalcei, fechei os olhos e chorei.

Foi um dos shows mais bonitos, mais emocionantes e mais ricos, que vi, do Paulo !!! Quando o simples é belo, para mim, é quando conseguimos chegar o mais perto possível do ideal. E foi isso que o Paulo fez, naquela noite no CCB, fez, com uma simplicidade que o caracteriza, tudo ficar belo. Mais palavras para quê?!

Mas não estava sózinho, com o Paulo estiveram Tedy Nsingui – guitarra eléctrica, Pirica Duya, Tony Sá – violas, Mias Galheta – baixo acústico, Nanutu – sax soprano, Jorge Mulumba – hungu, puita e voz, Graça – bateria, Javier Carrilho, João Ferreira – percussões, Zizi Vasconcelos, Rita Damásio – coros

E nessa noite, o Semba fez-se atrevido …

”O Semba é a matriz de vários ritmos”

Outubro 22, 2010

Em Portugal para dois concertos, Paulo Flores, a voz do semba angolano, vai apresentar Raiz da Alma, um projecto de pesquisa das origens do semba, que vai ao encontro dos instrumentos base, como o mukindo, a puita ou a dikanza.

Video da entrevista aqui

Why should I cry for you?!

Outubro 5, 2010

Raiz da Alma no CCB – O Semba em Lisboa

Setembro 8, 2010

ENCONTRO ENTRE VIOLÕES E AS PERCUSSÕES ÉTNICAS NO SEMBA

PAULO FLORES | RAIZ DA ALMA no CCB dia 24/Outubro às 21:00
O músico, cantor e compositor Paulo Flores apresenta-se pela primeira vez no CCB com o seu novo trabalho, no qual revisita o semba tradicional em busca dos seus segmentos rítmicos originais.

“este disco é a continuação de uma estratégia que pretende eleger o sem…ba como memória colectiva da cultura angolana, símbolo da luta pela independência e da afirmação da Angolanidade” – Paulo Flores

Yola Semedo – Minha Alma

Agosto 18, 2010

Para ti Cafefas, agora que já ouvi o CD, apesar de numa versão reduzida (este tema não tenho).

Ela tem realmente uma grande voz, mas isso acho que todos já sabiamos.

Este timbre do Paulo também não é realmente o meu preferido, nada mesmo. Que ele usou também na versão ao vivo do “ser da lata”. Gosto também mais do timbre rouco. Mas, “despite” este pequeno detalhe, pequeno mesmo, tá um grande tema com 2 grandes vozes.

Concrete jungle where dreams are made of

Junho 17, 2010

E é aqui , bem no meio da selva de cimento que vou dar o grito que me cala na garganta !!!

Raíz da Alma – Paulo Flores

Junho 16, 2010

Raíz da Alma

É hoje e amanhã no Espaço Bahia. Gosto muito do nome deste projecto que segundo li propõe o encontro entre violões e percussões étnicas no semba (com lançamento do CD agendado para Setembro deste ano).

Acho que quando a alma cria raíz tudo o resto cresce fortalecido. Não alma no sentido bíblico porque nessa não acredito, mas alma como o interior, como o mais profundo, como aquilo que nos forma mas não se vê.

E quando se encontra a raíz da alma é realmente quando se chega ao mais profundo, ao mais genuíno que algo pode ter. Neste caso, a nossa música, a nossa raíz, onde tudo nasce. Acho que o Paulo ainda está nessa busca, na busca e afirmação da angolanidade, mas que bem que o tem feito.

Hoje será  “Semba no Violão” com violões, baixo acústico, sax e voz, enquanto a quinta-feira está reservada para o espectáculo “Raíz da Alma”, com violões, percussões étnicas, baixo acústico, sax e voz.

Se me perguntarem hoje e amanhã, onde querias estar, onde queres estar, eu responderei, com os olhos brilhantes de alguma lágrima que teimará em cair, no quintal do Espaço Bahia.

Dia de Africa

Maio 25, 2010

com Richard Bona

Angola no IndieLisboa

Abril 27, 2010

Hoje na Cultugest temos uma sessaõ dupla de documentários sobre a música em Angola, de Jorge António:

Kuduro – Fogo No Museke
Jorge António
Exibições: 27 Abril, 21:45, Culturgest, PA
Secções: IndieMusic

Documentário, 2007, 52′, Beta Digital PAL
Argumento: Jorge António
Fotografia: Cláudio Jorge
Música: Vários
Som: Hugo Reis
Montagem: Nuno Egreja
Com: Ana Clara Guerra Marques, Dog Murras, José Luís Mendonça, Noite & Dia, Puto Prata Fofandó, SeBem, Tony Amado
Produção: MUKIXE Audiovisuais, Lda.
Desde a sua independência, nunca Angola tinha assistido a um movimento cultural tão dinâmico e tão polémico como o (género musical) Kuduro. “Kuduro, Fogo no Museke” é o retrato social e cultural de uma nova geração, que quer acima de tudo ser a voz de uma nova Angola.

Angola – Histórias da música popular
Jorge António

Exibições: 27 Abril, 21:45, Culturgest, PA
Secções:IndieMusic

Documentário, Reino Unido 2005, 52′, Beta Digital PAL
Argumento: Jorge António, Mário Rui Silva
Fotografia: Cláudio Jorge, Raul Booz
Música: Vários
Som: António Pedro Figueiredo
Montagem: João Assunção
Com: Ana Maria Mascarenhas, Beto Gourgel, Carlos Ferreira, Dionísio Rocha, Dog Murras, Eleutério Sanches, Filipe Zau, Garda, Nguxi dos Santos, Paula Simmons, Rui Mingas, Santocas, SeBem, SP, Teta Lando, VIP
Produção: LX Filmes
Do lendário “Liceu” Vieira Dias e os Ngola Ritmos, no final dos anos 40 até aos dias de hoje, este documentário é uma viagem ao universo da música popular angolana, através da voz dos artistas mais importantes de todas as gerações, tendo como pano de fundo a história politica e social de Angola.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 424 outros seguidores