Fazer ou não fazer? Eis a questão!

Hoje em dia temos operações plásticas para corrigir tudo e mais alguma coisa, o cotovelo tá torto? parte e coloca no sítio. Não gosto do meu dedo esquerdo? troco com o direito.  E lendo até aqui podem pensar que eu sou contra… mas não sou.

Sou a favor de tudo que a medicina e a estética inventaram, evoluindo para nos tornar seres com uma melhor auto-estima. Porquê que digo auto-estima e não digo mais bonitos? Porque para mim este é um conceito muito relativo.

Mas a auto-estima – pensando talvez que se pode tornar viciante (para todos os vícios é preciso dinheiro) e pensando também onde estará o limite? quem define esse limite? quando parar? –  estava eu a dizer, mas elevar a auto-estima acho importante, e aqui lembro-me dos famosos “aparelhos nos dentes”, já não é admissível ver pessoas com dentes tortos, falhas, falta dos mesmos …

retirada da net

retirada da net

E quando disse que beleza é um conceito relativo é porque acho mesmo, e cada vez acho mais. Se sentarmos 5 pessoas numa esplanada a fazer um exercício “uma coisa que mudavas na pessoa que está à tua frente?” , tenho a certeza que teremos 5 coisas diferentes, uma mudava os dentes, a outra implantava cabelo, outra tirava a barriga …

No nosso corpo é igual, eu não gosto disto mas alguém vai dizer que isto está óptimo, aquilo está pior !!! Por isso, acho que quando decidimos mudar, melhorar, corrigir, whatever,  alguma coisa, é realmente melhor não ouvir opiniões porque nunca teremos 100% de concordância.

Eu particularmente, mais do que uma barriga lisinha (sim tenho pneus 😉 ) gosto de uma mulher com um belo par de mamas – já percebi que os homens também [ver o post do SD 😉 ] – e acho que quando a natureza estraga, porque se emagrece, porque temos filhos, porque a idade não perdoa e a gravidade também não, quando a natureza estraga e nós podemos corrigir, devemos !!!

Mas termino com a pergunta que já fiz. O ser humano por defeito de fabrico, nunca está satisfeito, por isso pergunto onde está o limite? quando parar?

Advertisements

7 Respostas to “Fazer ou não fazer? Eis a questão!”

  1. bibbas Says:

    Penso que a decisão de se partir para uma plástica começa pela percepção e valorização corporal que cada um tem de si próprio. Não é o corpo que reclama por uma intervenção plástica mas sim a nossa mente e por vezes, como esta bem escrito no post, a nossa percepção de algumas partes do nosso corpo é tão diferente das dos outros, que para nós justificam sim uma intervenção de mestre pois não conseguimos “conviver em paz” com “ela”. Não tem ginástica que altere uma nariz desproporcional ou uma mamas que vão até ao umbigo depois de terem amamentado alguns rebentos…aceitar esse nariz ou essas mamas exige uma maturidade e um amor próprio muito muito grande que quase todos não temos, principalmente nós mulheres!!!!. Por outro lado penso q a vontade de mudar uma parte do corpo ou rosto, não significa que se tenha uma visão distorcida da própria imagem. Entretanto o interesse exagerado em se alterar a aparência já é outro assunto e deve ser tratado não por cirurgiões plásticos mas sim por psicólogos e psiquiatras…. Tem de haver limites sim…casos como o “extra terreste” M. Jackson ou pessoas que de tanto silicone parecem seres de outro mundo são bem a prova q deveria haver limites…mas onde esta o limite????…talvez no bom senso e isso também é relativo…:):):):):) Enfim, falamos falamos e queremos ser todos politicamente correctos…uma intervençãozinha sim, muitas não!!!…mas não nos podemos esquecer que as dinâmicas hoje da sociedade não ajudam. Existe uma pressão muito grande para sermos magras, bonitas sexys etc etc…e infelizmente, todos, até os homens são cada vez mais a favor de isso…os homens até podem ser feitos, barriguditos, mas quase todos querem uma mulher troféu…Isto mexe de maneira diferente nas cabecinhas das pessoas principalmente das mulheres…

  2. aNa Says:

    tens pneus… de bicicleta, não? 😉

  3. bibbas Says:

    Só podem ser mesmo de bicicleta pois aqueles grandes não se chamam pneus…são sim pedações em permanente conflicto com o resto da região:):):):): pior que Gaza heheheh…Mas é relativo…o que são pneus para alguns para muitos são pedações de banha:):):):):

  4. kianda Says:

    São pneus sim. São 3 e bem grandes (de mota, ahahahaha), em camadas, mas por enquanto vou viver bem com eles … acho eu!!!

  5. xozinha Says:

    Esta semana recebi de vária pessoas um texto supostamente escrito pelo Paulo Coelho, digo supostamente porque nestas coisas da net nunca temos como confirmar, do qual retirei este excerto que reflecte o penso sobre o bem-estar de cada um, neste caso das mulheres, mas atenção, eu não sou contra as cirurgias estéticas, desde que sejam efectuadas com peso e medida, mas acredito que possa ser viciante, ou seja “já que ajeitei aqui, agora vou dar um jeitinho ali ….”
    “(…) Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos ’em formol’ nem em spa… viveram! O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.
    Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se! ”
    Beijo doce

  6. kianda Says:

    Tb recebi esse email, e na altura pensei aquilo que a bibas aqui disse. Ou seja, é verdade “É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.”, mas a maior parte dos homens na hora da “escolha” não se lembra disso ” infelizmente, todos, até os homens são cada vez mais a favor de isso…os homens até podem ser feitos, barriguditos, mas quase todos querem uma mulher troféu…”
    Mas atenção, não acho, nunca achei, que devemos (nós mulheres) fazer algo na vida para agradar os homens (ou seja quem for) ou ser “escolhida”, devemos estar bem connosco próprias. Ao melhorar a nossa auto-estima (volto a dizer que aqui engloba até arranjar os dentes para tornar o nosso sorriso mais bonito) vamos de certeza melhorar a nossa qualidade de vida, muitas vezes, até a sexual.

  7. martaondina Says:

    Já foi dito aqui e eu concordo: o limite é o bom senso! Na falta desse, talvez um espelho ajude… 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: