A minha primeira vez

Não … isto ainda é um blog que ainda tenta ser sério.

Foi a minha primeira vez a soprar o balão. E merece ser contada ao promenor.

Ontem foi dia de farra, 36 da marinalua que por acaso está de passagem pela tuga. Jantar no speakeasy, boa música – “Viralata” com Luis Caracol no seu melhor covers de samba, de kizomba até pai do herdeiro teve – bom jantar, bons amigos e como bom aniversário de mwangolé, o belo do Moet😉

A bela da Kianda, que não bebe bebia bebidas alcoólicas e que realmente continua a perder a cabeça pelo belo do champagne bruto super animada até às 2:30 da manhã.

A caminho de casa, já avisada pra virar em Carcavelos e ir por dentro porque a polícia tinha montado barreiras exactamente ao lado da casa dela, de repente, em Algés … barreira policial, não escapa nem um, tudo encosta. E ela, em segundos, pensa que isto não pode tar a acontecer, sózinha às 3h da manhã, mandada parar depois do belo do champagne e … como sempre … com carta angolana.

– Boa noite

– Boa noite – procurando os documentos tentando não parecer nervosa, ar muito sério. Entrega os documentos do jeep, procura o passaporte angolano para juntar à carta de condução (aquela igual à que deu problemas ao Mantorras) e entrega ambos juntinhos cheia de atitude. Isto o pai dela já ensinou, tem que se fazer estas coisas com atitude.

– ingeriu bebidas alcoólicas?! – pergunta o agente Luís analisando os documentos também com um sério e cheio de atitude😉

– Não !!! – Queria que vocês tivessem visto a convicção com que a Kianda respondeu. E digo-vos o que se passou pela cabeça dela, faço uns olhinhos ao agente, ponho este ar sério e ele acredita.

– então vamos só ali fazer um testezinho rápido.

– Oppppsssss – em segundos apanhei o maior susto da minha vida e pensei que ia passar o resto da noite  atrás das grades. Mas lá fui eu andando em cima do salto até ao agente que me faria soprar.

– já alguma vez fez um teste destes? Não?! É só soprar contínuo até eu mandar parar.

E soprei contínuo … e parei … e esperei … e apitou e … disse o agente:

– Luís, 0.21

Imaginam a cara do Luís ?! – afinal bebeu alguma coisinha.

– só dois copos de champagne, era um aniversário – com o ar mais inocente que consegui encontrar

– sabe quais são os limites?! Não? 0.5 , tem 0.21 afinal sempre bebeu – já com um sorriso

– dois copos de champagne … com o bolo

– tem 0.21, podia ter bebido mais 2 🙂 – disse o Luis entregando-me os documentos com um belo sorriso

UUUUUFFFFFAAAAA !!! Segui viagem para casa, pela marginal, devagarinho. Afinal continuo uma miúda de sorte, e, com mais uma história para contar.

2 Respostas to “A minha primeira vez”

  1. Gi Says:

    Mas sorte é favor…será que ele chegou a olhar bem para os documentos, ou só estavam à procura de embriagados.

  2. kianda Says:

    A carta é angolana não é moçambicana, Gi😉 …ahahahahaha
    Sei lá eu. O que é certo é que a minha estrelinha da sorte (que por algum tempo pensei que me tinha abandonado) está comigo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: