40 anos – um momento de inspiração

Já fui aquela criança sem chão
Aos tropeções procurando seu rumo
Que se fez eu
Meu nome? Eu !
Sim, só Eu, sem apelido
Ahhhh, como caí, e levantei,
e aprendi
A andar de bicicleta
Patins, em linha?
Também!
E cresci …
Virei Princesa
Princesa é aquela que vive
Dentro do castelo não é?
Castelo tem muralhas?
Sou eu, jovem Princesa
E virei mulher
Sem grito, sem dor
Só eu outra vez
E o vazio
Já fui aquela mulher que amei
bem mais que a mim
amei com cheiro
amei com cor
e também com choro
pensei que enlouquecia
mas acordei
E já era mãe
Virei Rainha
Rainha vive dentro do castelo não é?
Castelo tem muralhas?
Sou eu, Rainha mulher
Procurei meu rumo
Caminhei
Escorreguei
Amei? Não sei !!!
Mas ri e brinquei
E … que engraçado, rimei
Ohhh, estava aqui
e agora já não está
mais um, e outro , e outro
e de repente
Tou aqui, olho à volta
Os muros já não podem estar lá
Afinal não era Princesa,
Afinal nunca fui Rainha
Era o reflexo, tão frágil
Catrapummmm….
Agora estou aqui
E vou
Não sei bem para onde
Mas agora eu vou …

5 Respostas to “40 anos – um momento de inspiração”

  1. Kafefas Says:

    A vida é feita de escolhas Kianda e tu, claramente, não tens feito as escolhas certas. Tudo o que escreveste aqui, tentando resumir o teu complexo e aventurado percurso, é muito bonito (sério, tá giro) mas ilustra exactamente opções infelizes e isso independentemente do importante ter sido, como canta o Rei, as emoções que viveste quer tenhas chorado ou sorrido. Agora que vais atingir metade do caminho, o que desde já é notável por estares “firme e irta como uma barra de ferro”, e nesta altura não sabes bem para onde vais (já o devias saber), tenta usar a tua inteligência, acima da media, em teu beneficio por forma a construires um futuro sólido para ti e para quem mais amas…… Orgulhos e preconceitos sao para considerar na primeira metade da vida porque nos “entas” o que realmente importa é sermos práticos, intuitivos e menos racionais até porque quando temos filhos nao há NADA que importe mais que a alegria e a felicidade deles e felicidade é um sentimento ou estado de espirito, não sei bem, que depende de correr atrás. Quero dizer, felicidade que se preze não é aquela esplendorosa que nos toma de assalto e que acaba por fugir a qualquer momento mas sim aquela construída palmo a palmo, sinônimo de paz de espirito e trabalho suado nos bastidores da vida.  

  2. smile Says:

    Penso que não é apenas um momento de inspiração mas, continuidade de boa escrita com que presenteias os teus leitores e, a história de vida, apesar dos encontros e desencontros com o rumo certo ou incerto… faz parte e, com toda a aprendizagem que daí retiras, faz de ti a Grande Mulher que és! BK🙂

  3. Bibbas Says:

    “A vida é feita de escolhas Kianda e tu, claramente, não tens feito as escolhas certas”…credo Kafefas!!!, Eu acho que no jogo da vida não precisamos de “arbitros” mas sim de amigos!:) …Aceito que nos “entas”, importa sermos práticos, mas tb importa sermos flexiveis, menos “donos da verdade”, e nada “julgadores”…o que é isso de “fecicidade que se preze”? a minha? a tua? a da Kianda? :):):):Credo Kafefas, nem parece teu…ou parece??:):):

  4. kianda Says:

    Exactamente felicidade para quem?! Conceito definido por quem e escolhas certas de quem?!
    Fiz, de certeza as minhas escolhas certas. E porquê que digo isso?! Porque tenho pessoas como o Smile que me dizem diariamente que sou uma grande mulher. Porque tenho um filho que me diz diariamente o quanto me ama e o quanto é feliz.
    E engraçado, muitas vezes o caminho certo não é o primeiro, é usares essa tal inteligência para saber voltar para trás e curvar à esquerda desta vez.
    E por vezes também, o não saber para onde se vai depende do chão que te foge do pés, mas o válido é ter a serenidade de respirar fundo, não cair no buraco e saber que , agora, eu vou !!!

  5. Cafefas Says:

    Tens razão Bibbas e não sei mesmo o que seria de mim sem os teus “abanões” morais. Às vezes excedo-me, reconheço, mas acredita que não “julgo” ninguém pois acho que não há nos humanos ninguém capaz de julgar seja o que for. Sorry Kianda…

    Hoje é um dia triste para todos nós, especialmente para nós que crescemos (bem ou mal) juntos, porque perdemos um amigo e quando se perde um amigo um vazio imenso enche a nossa alma. Nunca achei bem enaltecer as qualidades das pessoas quando elas se vão mas acho que os bons amigos são aqueles que nem sempre concordam connosco e nos dizem, quando é preciso, aquilo que nao gostamos de ouvir. Por isso perdemos hoje um bom amigo…. Bom descanso meu Kota.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: