A queda do cavalo e a conjugaçao das estrelas

Se existe um dia perfeito, esse dia foi hoje. A lua quase quase cheia, tão quase que até engana os mais distraídos.

Os mais velhos e normalmente mais sábios dizem que quando se cai do cavalo, devemos subir outra vez, para perder o medo. Hoje foi o dia em que voltei a entrar num sitio que dizia, Centro Oncológico. Senti as pernas bambas, tive que respirar fundo, e o tempo que lá estive foi de arrepios de frio. Fui acompanhar uma grande amiga que iniciou hoje as suas sessões de radioterapia … foi o meu subir de novo para a garupa do cavalo.

Mas esse foi o momento mais … mais … estranho, o dia foi tão estranhamente bom, que não consigo definir este momento como mau.

O dia começou como eu gosto, matabicho na varanda, ao fundo e até à linha do horizonte, e arrisco dizer que até depois dela, o mar. Sol, muito sol. E as revistas da semana.

Almoço com 2 belas amigas, K. e A., belo peixe grelhado, bom papo a tarde toda… depois…aquele momento, o tal que não tem, porque eu não quero que tenha, definição.

Vamos ver a Corinne? Vamos. Chegadas a Cascais, duas voltas ao quarteirão, eis um lugar mesmo em frente à porta do Parque Marechal Carmona, bom demais para ser verdade…estaciona. Sai do carro e analisa o lugar, humm… vamos de certeza ser rebocadas, este lugar não podia estar aqui à nossa espera. Acho que estava.

Compra bilhetes, bons lugares. É cedo, vamos comer? Vamos. Chegadas ao restaurante, aquele que vimos e gostámos quando passamos nas tais duas voltas à procura de estacionamento. Super cosy, como disse a minha amiga, “tem um ar europeu”. Ohhh é sushi, era mesmo o que me apetecia, olha bem … Confraria?! Eu conheço este nome … AAAAhhhhhh , é aquele restaurante que me falaram e que já tentei cá vir 2 ou 3 vezes e sempre que telefono não consigo lugar. A rapariga simpática foi ver se conseguia lugar, voltou, “tenho uma mesa, mas têm que sair até às 10:30” … no problem 🙂 , temos um concerto às 10h !!!

Este foi o primeiro momento em que achamos que os astros estavam alinhados.

Falar do restaurante e do quão o sushi, sashimi e afins eram fantásticos levava horas!!! Tudo perfeito, resume o que sentimos. À entrada do Parque, “tens pastilhas?”, não … precisava de uma coisa doce para tirar o gosto da soja, precisava mesmo… uma voz “querem um gelado?” . A Edp oferecia gelados, com cone de bolacha e tudo 🙂 … ainda não vos convenci que era a conjugação perfeita das estrelas?

A Corinne é a Corinne, love me ou hate me. Há quem a ache uma seca, eu adoro. Nao me desiludiu, bons músicos, ela sem enganar ninguém, what you see it’s what you get. Acho sempre os espaços CoolJazz especiais, com uma boa vibe, este era isso tudo. Lua quase cheia no céu cheio de estrelas, noite de verão com algum vento mas nada de especial.

No fim fomos brindados com um jazz genial, perfeito para acabar. E assim terminou a noite … estão à espera da parte má?! … não tem. Foi assim que terminou o dia, tudo perfeito.

Talvez seja este o primeiro dia do resto da minha vida!!!

(Nao sei o que aconteceu, mas nao tenho acentos, as minhas desculpas, espero que o texto esteja compreensivel)

adenda: Já consegui os acentos 🙂

Anúncios

3 Respostas to “A queda do cavalo e a conjugaçao das estrelas”

  1. katinha Says:

    🙂

  2. Cafefas Says:

    A coisa mais divina que há no mundo é viver cada segundo como nunca mais…

  3. nalu Says:

    Beijo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: