Archive for the ‘Notas soltas’ Category

Amorzade

Julho 23, 2011

” O pintor italiano Valerio Adami dedicou-me assim um desenho Com Amorzade e a justeza da expressão surpreendeu-me: não me tinha passado pela cabeça que é exactamente o que sinto pelos meus amigos, os vivos, e aqueles que morreram, ou antes, não morreram, só não puderam vir hoje, logo à noite ou amanhã telefonam e estarão no sítio em que combinámos, sem falta, e a gente a abraçar-se às palmadas nas costas. Porque razão os homens se abraçam sempre às palmadas nas costas? Sobretudo se estivermos uns tempos sem nos vermos é um festival de pancadaria cúmplice, acompanhado de palavras ternas tais como

– Meu cabrão

e outras doçuras do género. ”

by António Lobo Antunes

Fica no condomínio, que eu fico no T1

Março 31, 2010

Tava a ler um artigo “Camas conjunta, contas separadas” sobre relações onde elas ganham mais do que eles. E comecei a pensar sobre todo o preconceito formatado pela sociedade, neste caso era a portuguesa, mas se fossemos para a Angolana…

Dá certo?! Dá certo uma relação em que ela tem muito mais do que ele?! Alguma vez o homem supera isso? E o isso pode bem ser o olhar da sociedade, o zum-zum nas costas dele.
Porquê que o contrário é tão bem aceite, que o homem pague jantares, férias, ofereça carros e ninguém questione (quer dizer, aqui também por vezes existem questões mas isso é para outro post), mas não é verdade? Não é considerado normal? Então porquê que não pode ser normal ser o elemento da relação que tem mais poder financeiro a, proporcionalmente, arcar com mais despesas?!

Não é o Amor que no fim traz a felicidade? É o dinheiro? É a conjunção dos dois? O engraçado é que quando não foi o dinheiro que juntou duas pessoas, porque diabo tem que os separar?!

Agradecer no fim do dia

Novembro 13, 2009

Estava a ler um artigo Expresso/Única intitulado “Rir é o melhor remédio” com 10 ideias para potenciar a energia positiva. Coisa em que acredito religiosamente. E com alegria me apercebi que tento seguir quase todos os pontos, mas um deles , que não sigo – mas vou começar a fazer – despertou-me interesse. Deixo-vos aqui:

1. Agradecer as bençãos de cada dia
Talvez a falta de prática nos impossibilite saber como a gratidão proporciona um enorme incremento de bem-estar. Ser-se grato é um conceito recentemente estudado pela Psicologia Positiva, corrente da Psicologia que se interessa não apenas pelos aspectos negativos do funcionamento humano, mas também pela forma de potenciar os positivos. Gabriela de Abreu, fundadora da Associação Portuguesa de Estudos e Intervenção em Psicologia Positiva, aconselha vivamente o exercício das três bênçãos diárias. No fim de cada dia, registarmos três coisas pelas quais estamos gratos. Não precisam de ser grandes acontecimentos ou conquistas, podem ser as mais pequenas coisas: o olhar a linha do horizonte à beira-mar e respirar fundo, o sorriso dos filhos, um almoço agradável com um amigo. Robert Emmons, especialista norte-americano na área, chama a isto “querer-se aquilo que se tem”. Num mundo dominado pelo querer sempre mais, é incrível que se possa aumentar os níveis de bem-estar (e da tal energia positiva) com o simples reconhecimento do que já se tem. “Quando peço este exercício nas conferências que dou pelo país, muitas pessoas parecem verdadeiramente destreinadas, mas é fascinante ver a transformação que se opera passados alguns minutos: muitas, em vez de agradecerem três coisas, agradecem oito, dez! E quando se comprometem a fazer o exercício em casa, diariamente, mais tarde vêm revelar que isso as ajudou a ver a quantidade de bênçãos que o seu dia-a-dia contém, não obstante o muito que ainda possam querer conquistar.”
[Gabriela de Abreu é fundadora da Associação Portuguesa de Estudos e Intervenção em Psicologia Positiva]

Os outros:
2. Rir
3. Fé e a alegria de viver
4. Ioga, a bem aventurança
5. A força das cores
6. Organizar a casa segundo feng shui
7. Música na alma
8. Nos caminhos do Oriente
9. Agradecer as bençãos de cada dia
10. Mexa-se pela sua felicidade

Aviso à navegação

Setembro 28, 2009

Elas falam de sexo e contam detalhes. E como contam. Um artigo chamou-me a atenção, dizia “Homens, temos uma má notícia para vocês : gostamos de contar ao pormenor o que se passa entre lençóis. Por isso, cuidado com as performances!” Que gargalhadas eu dei. E quando se lê um artigo destes num domingo de manhã, na varanda, no relax e com uma amiga ao lado, aquela que conhece muitas das tuas histórias, a lembrança de algumas é inevitável …

“Estávamos loucos um pelo outro, aos beijos às cegas, já nus, quando de repente, olhei para baixo e … ia morrendo. Ele é tãããão giro. Alto, simpático, com pinta…nunca pensei que tivesse aquela pilinha. Olha, passou-me tudo. Até fiquei mal disposta.”

Eu nunca tive dúvidas que nós mulheres contavamos mais, aquelas idas ao WC em grupo nunca foram para compor a maquilhagem, mas realmente, como somos dadas ao pormenor, conseguimos recriar as cenas com tanto realismo que a plateia – leia-se amigas 🙂 – nunca mais olha da mesmo forma para os personagens.

Por isso, meus amigos, fica o aviso.

Mais directo era impossível

Setembro 23, 2009

Mensagem recebida no Hi5, o menino tem 29 anos, não tou nada mal hein?! 🙂

Olá,
Posso ser muito directo?
Podemos trocar umas palavras no MSN (messenger)?
*********@hotmail.com
Resto de uma boa noite

Sentimentos sólidos

Setembro 9, 2009

“…O nosso casamento assentava mais no rancor mútuo do que no amor. Nada contra – compreendam-me. Acho que o rancor tende a ser um sentimento mais sólido do que o amor. Parece-me importante que uma instituição como o casamento assente em sentimentos sólidos.”
«Barroco Tropical»

Fim de Semana [com som]

Agosto 8, 2009

Muitas vezes acordo com desejos 😉 … hoje foi Djavan!!! Isso pede matabicho na varanda, um sol tímido, meio envergonhado por entre as nuvens, meio tou aqui e não tou, as revistas da semana e Djavan na bela coluna do iphone, oferta do meu grande amigo D.

Bom fim de semana pra vocês!

p.s. o senão é que não me sinto de férias, não sei porquê, mas tenho que resolver isso já, já.

Novos cliques

Agosto 6, 2009

Tenho 3 novos blogues ali ao lado, todos diferentes mas que acho que vale a pena passarem por lá, pelo menos vale , de certeza a minha referência.

A Casa da Garoa é a nova morada do casal F. e P. que tão bem conhecemos da Casa de Luanda e que tantas saudades deixaram. O F. anda preguiçoso mas fica aqui – e já tarde – o link.

Fio de Prumo, recebi um email assunto “conheces?”, corpo do email o link 😉 … foi a aNa que me enviou e foi imediato o pensamento e acho que a resposta, não conheço mas se referes é porque merece ser conhecido. Ainda não tive tempo de ler muito, mas já gostei, é um blogue assinado por Helena Sacadura Cabral, a “mãe dos Portas”, uma pessoa que consegue educar filhos tão diferentes uns dos outros, ideologicamente opostos,  merece de certeza a minha atenção.

“Análise séria e acutilante, humorada ou entristecida, do Portugal dos nossos dias, da cidadania nacional e do modo como somos governados e conduzidos. Enfim, um local onde se faça o retrato do país em que vivemos e que muitos bem gostariam de ver melhor!” a definição de fio de prumo por HSC

Jazz no País do Improviso, este com destaque naqueles blogues de música que não deixo de visitar todos os dias, recebi do meu kamba JLan que anda sempre à procura destas coisas 😉 … muito bom para os amantes de jazz.

Um Prémio, que fixe !!!

Agosto 5, 2009

blog_de_ouro[1]

Recebi este prémio “Blog de Ouro” o que sabe sempre bem o carinho de alguém que não conhecemos e que pelos vistos gosta do que eu aqui vou depositando em jeito de terapia como já tive a oportunidade de dizer. O beijo devolvido com carinho ao Alex Campos.

Como regra do prémio aqui ficam as regras:

1. Exiba a imagem do selo “Blog de Ouro”;   
2. Poste o link do blog de quem te indicou;
3. Publique as regras;
4. Avise seus indicados (vamos ver se eles passam por aqui 🙂 );
5. Confira se os blogs indicados repassaram o selo (não vou cumprir esta regra);
6. Indique 5 blogs de sua preferência: (a ordem da publicação não é a ordem de preferência, é aleatória, gosto de todos, por razões diferentes)
Casa de Luanda
Meia Volta
Sem Destino (muito parado desde q ficou amarelo)
A luz do meu caminho
GAD – Artes e Oficios

Camarão que dorme…

Agosto 4, 2009

O ser humano tem tendência para adormecer à sombra da bananeira. Quando consegue o que quer, ou o que se predispôs a conseguir,  relaxa. Acontece no trabalho e também nas relações. Relaxa sempre com a sensação de ok, tá garantido. Só volta a acordar na iminência de uma perda, quando se assusta seja porque o emprego está em risco ou a relação, e aí é correr atrás do prejuízo !!! Alguns, não acordam nunca.

E de repente, lembro-me “Camarão que dorme… a onda leva!!!”