Archive for the ‘Sociedade’ Category

Crescimento quê?!

Outubro 11, 2011

Hoje estive numa conferência, num fórum. De manhã alguns oradores, que gostei, uns mais do que outros, mas principalmente, temas diferentes que nos fazem sair da nossa zona de conforto e pensar um bocadinho.

A Europa está em crise, Portugal, o mundo.

Artur Santos Silva falou da Educação, como pilar de crescimento, como pilar de uma sociedade desenvolvida, simplesmente como O pilar para construir uma sociedade.
E disse que os anos mais importantes da educação dos seres humanos são os primeiros anos, onde se forma a base do indivíduo, onde se forma o carácter. Ele não inventou, são os resultados de vários estudos. Por isso, o mais importante não são as Universidades – estas também o são, mas quando o resto já funciona bem – mas sim, a escola primária.

Falou de 2 casos de sucesso, a Coreia do Sul – aqui eu acho que os factores são vários, e a cultura asiática é muito diferente da Ocidental não sei se melhor, mas diferente – e a Finlândia.
Onde os professores primários são os 20 top do curso, passam meses em testes e entrevistas para se perceber se gostam de crianças, se gostam de ensinar, se sabem ensinar, se têm vocação. Depois são 5 anos em estágio com um mentor… Tudo isto porque são os anos mais importantes no ensino, tudo isto porque são os anos mais importantes na formação do ser, para todo o sempre.

Isto não se passa em Portugal, um País que apesar de estar em crise é um País desenvolvido, com muito caminho já trilhado. A comparação foi feita com Portugal, dizendo-se que Portugal tem muito que fazer…

E de repente eu já não estava ali, naquela sala, de repente eu estava a pensar na minha terra. De repente eu pensava, com tristeza, no que tenho perguntado tantas vezes, que País é o nosso – Angola – que não aposta na educação. Que sociedade se quer formar, se quer construir sem o pilar base … educação.

Escola primária é a base … Alguém me ouve?! Escola primária é a base.

Muitas vezes oiço que já ninguém aguenta a falta de luz, a falta de água. De certeza, claro que já ninguém aguenta. Oiço perguntar que País é esse que quer desenvolver sem o básico, luz e água, concordo.

Mas eu digo mais, isso não é básico, isso é dado adquirido, isso vem no pacote quando se pensa em construir uma sociedade, está lá, não é questionável. Básico é educação e saúde, quando se quer desenvolver, crescer, isso é básico.

E oiço falar em crescimento económico, estamos a crescer bué, vamos crescer 2 dígitos… Crescimento??? Não me lixem !!!

He’s Just Not That Into You

Setembro 13, 2009

É engraçado como os sinais são iguais em qualquer língua, por isso nos podemos entender com um Chinês, só com gestos. Os sinais que aqui falo são os comportamentos que temos quando estamos apaixonados ou simplesmente interessados em alguém ou os comportamentos que temos quando queremos dar um corte.

Num jantar, rectifico, num excelente jantar com 2 amigas em que falamos da vida, de sentimentos, de problemas e principalmente de relações surgiu na conversa o filme que dá título ao post, lembrei-me que o tinha comprado mas ainda não tinha visto. E assim foi o meu fim de tarde de sábado.

Que bem disposta que fiquei. Adorei o filme. Excelente elenco em histórias cruzadas em Baltimore onde o tema principal é exactamente esse, tentar sempre ler da melhor maneira os sinais que nos são enviados.

Porque o que é certo é que os sinais estão sempre lá, relembro uma conversa de um meu grande amigo dizendo para uma amiga, “mas que queres mais? os sinais estão todos aí, tás à espera de quê para pular fora?” … os sinais estão quase sempre lá, ou não os queremos ver ou os vemos tarde de mais.

Por vezes, estamos tão obcecadas com a procura de um final feliz que nã aprendemos a ler os sinais. Como distinguir os que nos querem dos que não nos querem? Aqueles que ficarão daqueles que partirão? E… talvez o tal final feliz não inclua um tipo maravilhoso. Talvez sejas tu … sózinha, a lamber as feridas e a recomeçar, libertando-te para algo bem melhor no futuro. Talvez o final feliz seja apenas seguir em frente.

Ou talvez o final feliz seja que apesar de todos os telefonemas por receber e desgostos de amor, de todas as gafes e sinais mal interpretados, apesar de toda a dor e embaraço, nunca, mas nunca mesmo, devemos perder a esperança! 🙂

O Brasil tá ficando maduro !!!

Janeiro 13, 2009

Com sotaque …  🙂

2 mulheres com mais de 40 anos foram escolhidas rainhas da bateria do maior carnaval do mundo – Luma de Oliveira, de 44 anos, rainha da Portela, e

retirada da net

retirada da net

Luiza Brunet, de 46, da Imperatriz Leopoldinense

retirada da net

retirada da net

Não brinquem connosco, eu ainda não cheguei lá, mas, a passos largos caminho e quero apagar as 40 velas bem firme no alto dos meus saltos  🙂

Pra terminar deixo-vos com estas sábias frases que recebi por email:

Uma mulher com mais de 40, nunca vai acordá-lo no meio da noite, pra perguntar com o que é que você está sonhando… Simplesmente porque não lhe interessa com o que é que você está sonhando.

E havia muitas coisas simpáticas para dizer das mulheres com mais de 40 e pelas razões mais diferentes. Mas, lamentavelmente, isso não é recíproco: porque, para cada mulher com mais de 40, inteligente, bem sucedida,
atraente, charmosa, bonita e sexy há um homem com mais de 40, gordo, abandonado, que se acha o máximo e com uma mulher de 20 ao lado dele. A sua capacidade de discernimento, não vai além disto!!!
Não sabe o que perde…

Um pequeno gesto

Junho 15, 2008

Ontem, às onze e meia da noite, vinha eu de Lisboa, na auto-estrada cantarolando a música que tinha no CD quando de repente à entrada da portagem o carro vai abaixo – ele, carro, não tem andado bem mas tinha, por acaso, saído nessa manhã da oficina – primeiro pensamento, vai voltar a ligar (ele ligava sempre), mas desta vez resolveu pregar-me uma partida e lá estava eu à entrada do corredor da portagem, impedindo o trânsito e tentando que o carro pegasse, com cara de parva – já repararam na cara de todos os condutores de carros que avariam no meio da estrada impedindo o normal funcionameno do trânsito? – e pedindo a todos os meus santos e mais alguns que me tirassem daquela situação … segundo pensamento e imediatamente a seguir ao primeiro, não tenho bateria no telemóvel, NÃO TENHO BATERIA NO TELEMÓVEL !!!

E talvez tenha sido nossa senhora da Muxima, ou Iemanjá quem sabe 😉 que enviou o casal que de repente, na fila do lado da portagem me pergunta se precisava de ajuda para empurrar o carro. Tinham passado mais de 10 minutos, estava uma mulher sozinha dentro de um carro avariado, a impedir o trânsito, às 11:30 da noite e ninguém, absolutamente ninguém, até aquele momento me tinha perguntado se eu precisava de ajuda…

Que sociedade é esta? Em que seres egoístas nos estamos a transformar todos, que só conseguímos olhar para o nosso próprio umbigo, que só nos preocupamos com as coisas materias, que matamos os nossos semelhantes …

Era um casal jovem, brasileiros, ele disse-me “nós nunca sabemos o dia de amanhã e o que nos pode acontecer, eu estava vendo toda a gente passar e ninguém perguntando se precisava de ajuda!” , empurramos o carro para a berma e não bastanto, mais uma vez, num gesto, que marca, ela me emprestou o telemóvel para eu poder ligar para o SOS para pedir o reboque…  E é nestes momentos, é com estes pequenos gestos – tão grandes – que eu volto a acreditar no ser humano, que volto a acreditar que a nossa sociedade, que o mundo tem salvação.

Foi um sufoco tudo o que passei, o resto da história segue o seu rumo normal e tem um final feliz, por causa dele e dela, pessoas comuns, simples, que estão em Portugal, de certeza, a lutar diariamente para conseguir uma vida um bocado melhor e que não hesitaram em ajudar um ser humano.

Com tristeza, mais tarde, penso que não sei os nomes deles, lembro-me perfeitamente dos seus rostos, mas não sei os nomes, devia ter perguntado, devia saber, e ficarei sempre com a sensação que todas as minhas palavras não foram suficientes para agradecer o gesto, tão simples …    

Pensei muito esta noite, em como estou a educar o meu filho, que caminho estou a seguir, e tenho a certeza que mudei, mudei para melhor … pode ser que um dia eles passem por este blog, pode ser que um dia , ele e ela, leiam este post e fiquem a saber o quanto lhes estou eternamente grata, e que fiquem a saber que um pequeno gesto melhorou (mesmo que só um bocadinho) o meu ser.

p.s. chamo “pequeno” ao gesto porque acho que devia ser um gesto normal em todos nós e que se assim fosse, talvez nem merecesse referência neste blog